mynews

OURÉM_PROPOSTA DE REVISÃO DO PDM APROVADA PARA EFEITOS DE DISCUSSÃO PÚBLICA

A proposta de revisão do Plano Diretor Municipal (PDM) foi aprovada para efeitos de discussão pública, por unanimidade, na Reunião da Câmara de 6 de maio, tendo sido de imediato apresentada pelos técnicos da Divisão de Ordenamento do Território ao Presidente da Assembleia Municipal e respetivos deputados, e aos presidentes de assembleia e das juntas de freguesia do concelho, numa sessão decorrida no Auditório do Edifício-sede do Município de Ourém, nesse mesmo dia.
A proposta de revisão do PDM estabelece pontos fortes e pontos fracos do território, ameaças e oportunidades, definindo a estratégia adotada com vista à sua
conceção, dividindo o concelho de Ourém em sete Unidades Territoriais /UOPG’s, e propondo estratégias de planeamento ajustadas a cada uma delas. A saber:
Fátima (UT1), Ourém (UT2), Serra (UT3); Vale de Transição Atouguia/Vilar dos Prazeres (UT4); Norte Florestal (UT5); Vale do Nabão (UT6); Vale do Lis (UT7).
A proposta define qual o regime de utilização para cada parcela do território municipal, considerando que a promoção de um adequado ordenamento do território
assenta numa dialética entre o solo rústico e o solo urbano.
Sendo o PDM um instrumento fundamental na gestão territorial de natureza
regulamentar, o seu conceito estabelece o regime de uso do solo, através da sua
classificação e qualificação, define a política municipal de solos de ordenamento do território e do urbanismo, a gestão de equipamentos de utilização coletiva, a
relação de interdependência com os municípios vizinhos e rege a integração de orientações estabelecidas pelos programas de âmbito nacional regional e intermunicipal.
Ao concordar com a proposta de revisão do PDM, o Executivo da Câmara Municipal de Ourém deliberou ainda proceder à abertura do período de discussão pública durante 30 dias úteis contados a partir do quinto dia após a data da publicação do respetivo Aviso no Diário da República. O início da discussão será anunciado nos meios de comunicação social e no sítio eletrónico do Município.
A proposta de revisão do PDM de Ourém já está disponível para consulta no sítio eletrónico do Município.

2019-05-09

OURÉM_AGROAL RENOVA BANDEIRA AZUL

A praia fluvial do Agroal vai hastear a Bandeira Azul pelo terceiro ano consecutivo, prova da excelência deste recurso natural, que há muito se tornou num dos principais cartões de visita do concelho de Ourém.

A distinção, atribuída pela Associação Bandeira Azul da Europa, assenta em critérios rigorosos que obedecem a requisitos tão variados quanto Gestão Ambiental e Equipamentos, Informação e Educação Ambiental, Qualidade da Água, Segurança e Serviços, entre outros.

“É uma distinção importante, que nos deixa muito satisfeitos, porque foi preciso trabalhar muito para que a praia fluvial do Agroal cumpra os requisitos obrigatórios para receber a Bandeira Azul”, vincou Luís Miguel Albuquerque, Presidente da Câmara Municipal de Ourém, garantindo que o Executivo “está empenhado em dotar aquele espaço lindo e único com condições ainda melhores” para os “milhares de visitantes que recebe” ano após ano. “Temos em curso um projecto para a construção de um passadiço, que além de ser importante para que as pessoas possam usufruir do mesmo, também ajudará a resolver problemas como a questão do estacionamento”, lembrou o edil.

Inserida na União de Freguesias de Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais, esta praia fluvial é também um hino à natureza e um ponto de encontro entre a biodiversidade das espécies e as águas frias, termais e curativas da sua nascente.

Alvo de obras de melhoramento ao longo dos últimos anos por parte do Município de Ourém, a praia fluvial do Agroal é hoje um dos maiores pólos turísticos da região, acolhendo milhares de visitantes ao longo de todo o ano, com especial incidência nos meses de verão.

Entre as muitas valências ao dispor de quem a visita, destacam-se os espaços verdes com mesas para merendas, os balneários e casas de banho de acesso gratuito, serviço de cafetaria e restauração, parque de estacionamento e policiamento permanente, além de obedecer ao critério de praia com acessibilidade reduzida e contar com um nadador salvador durante a época balnear.


2019-05-06

OURÉM_FUNDAÇÃO DR. AGOSTINHO ALBANO DE ALMEIDA CELEBRA BICENTENÁRIO DO NASCIMENTO DO SEU CRIADOR

O Município de Ourém e a Fundação Dr. Agostinho Albano de Almeida vão assinar um protocolo de cooperação, com vista às celebrações do bicentenário do nascimento de uma das personalidades mais
prestigiadas do nosso concelho.

A proposta da Divisão de Ação Cultural foi votada favoravelmente pelo Executivo, na Reunião da Câmara do passado dia 28 de abril, sendo que o protocolo de cooperação será assinado no próximo dia 18 de maio, no âmbito das celebrações do Dia Internacional dos Museus.

Reputado oureense, Agostinho Albano de Almeida foi, entre outros méritos dignos de registo, o grande responsável pela criação da unidade hospitalar de Ourém, que viria a ser conhecida como Hospital de Santo Agostinho, tendo servido a população do concelho entre 1891 e 1992.

Agostinho Albano de Almeida nasceu a 27 de outubro de 1819, em Aldeia da Cruz, a povoação que daria origem à cidade de Ourém. Batizada com o nome do seu criador, a Fundação foi criada em 1891 por legado testamentário do próprio.

Mais de um século depois da sua criação, a Fundação Dr. Agostinho Albano de Almeida é hoje uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), estendendo a sua ação à área da prestação de serviços no âmbito da proteção de cidadãos na velhice e invalidez, da proteção e apoio a crianças e jovens, da promoção da integração comunitária e da educação e formação dos cidadãos, numa perspetiva de melhoria contínua da sua organização e funcionamento.


2019-05-06

FÁTIMA_SANTUÁRIO LANÇA NOVO GUIA DO PEREGRINO

O Santuário de Fátima anunciou hoje que já está disponível nas livrarias o novo Guia do Peregrino de Fátima, que reúne um conjunto de informações e subsídios para uma melhor experiência da peregrinação à Cova da Iria.
“Mais do que um guia, pretende-se com esta edição ajudar a viver o caminho de fé que Nossa Senhora comunicou aos Pastorinhos, através dos acontecimentos, figuras, lugares, teologia e espiritualidade sentida no Santuário de Fátima”, refere a sinopse do novo Guia do Peregrino de Fátima, citado numa nota de imprensa do Santuário.

O livro, disponível “nas principais livrarias do país” e no site do Santuário, tem cerca de 200 páginas e “reúne contributos para melhor conhecer o acontecimento e a mensagem de Fátima, preparar uma peregrinação e percorrer os espaços do Santuário, com a ajuda de mapas e infografias”.


A obra reúne ainda “propostas de itinerários, meditação, oração e celebração”, que são “acompanhadas de textos bíblicos, escritos de Lúcia e reflexões, para que o peregrino disponha de uma vasta possibilidade de escolha para elaborar um caminho personalizado”.

O primeiro capítulo abre com uma reflexão do reitor do Santuário, padre Carlos Cabecinhas, sobre a “experiência da peregrinação”, “apresenta o caminho de santidade dos videntes”, “dá a conhecer a mensagem de Fátima, através de palavras-chave” e “recorda, em breves descrições, as aparições”.

Os dois capítulos seguintes referem a “preparação espiritual e logística de uma peregrinação” e “diferentes itinerários meditativos, apresentando os lugares das aparições, os locais de culto e oração e os espaços de cultura, de formação e de pastoral”.

O quarto capítulo é dedicado à oração e celebração no Santuário, com subsídios para a recitação dos diferentes mistérios do Rosário e propostas para diferentes momentos celebrativos, como a Via-Sacra, Adoração e oração de penitência.

O novo Guia do Peregrino é uma edição do Santuário de Fátima, com distribuição da Paulus Editora.


2019-05-06

ALVAIÁZERE_INCUBADORA DE NEGÓCIOS ALVAIÁZERE+ PROMOVE PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS

A incubadora de negócios “Alvaiázere +” promove um programa de aceleração de negócios com duração de dois fins-de-semana, que começa a 25 de Maio, contribuindo assim na ajuda aos empreendedores a desenvolver os seus projectos empresariais.

O programa de aceleração é constituído por dois bootcamps, que terminam com a apresentação dos projectos, com o primeiro bootcamp a decorrer nos dias 25 e 26 de Maio e o segundo nos dias 21 e 22 de Junho.

Numa nota de imprensa é refreido que o programa tem como objectivo apoiar todos os negócios, através de uma ampla rede de parceiros, mentores, especialistas e sessões de formação intensiva em várias temáticas úteis no desenvolvimento e apresentação de um negócio”,informando ainda que já estão abertas as candidaturas.

2019-05-06

OURÉM_AMO QUER HOMENAGEAR AUTARCAS

A Mesa da Assembleia Municipal de Ourém pretende levar a efeito uma cerimónia de homenagem aos autarcas oureenses que ao longo de 43 anos de Poder Local foram eleitos e exerceram o mandato no Município de Ourém. O anúncio foi feito pelo presidente da AMO, João Moura, no decorrer da última sessão da Assembleia Municipal, a 25 de abril.

Para o presidente da AMO, “com este ato, queremos honrar e valorizar publicamente a dedicação e trabalho de todos os membros da Assembleia Municipal, Presidentes de Junta e Presidentes de Câmara desde as primeiras eleições realizadas a 12 de dezembro de 1976, sendo que parte destas homenagens serão realizadas a título póstumo.”, citámos.

A data prevista para a realização desta cerimónia é o dia 28 de setembro, assinalando assim um ano da inauguração do Monumento aos Eleitos Locais, localizado e frente ao Edifício dos Paços do Concelho.

Nesta fase estão a ser recolhidos os nomes de todos os autarcas do concelho, contando a AMO com a colaboração da Câmara Municipal e das Juntas de Freguesia, que se associaram a esta iniciativa desde a primeira hora.


2019-05-06

ALVAIÁZERE_DESPISTE DE MOTO VITIMOU HOMEM DE 29 ANOS

Um homem de 29 anos morreu esta tarde no centro da vila de Alvaiázere na sequência do despiste da moto que conduzia, disse fonte dos bombeiros.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria, o despiste do veículo de duas rodas “em frente ao tribunal” local e “provocou uma vítima mortal”.

Já fonte da GNR de Leiria precisou que o condutor do motociclo “se despistou sozinho”, vindo a morrer na sequência do acidente.

O alerta para o acidente foi dado às 17h19 e no local estiveram meios dos bombeiros de Alvaiázere, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e GNR, com oito operacionais e quatro viaturas.

2019-04-21

OURÉM_MUNICÍPIO APROVA CONTAS DE 2018 POR UNANIMIDADE

A Câmara Municipal de Ourém aprovou as contas de 2018 por unanimidade, com um saldo positivo de 712 mil euros, informou a autarquia liderada por Luís Albuquerque (coligação PSD/CDS Ourém Sempre).

Em nota de imprensa, o Município de Ourém, no distrito de Santarém, adianta que foi aprovado o relatório de gestão e prestação de contas, votado por unanimidade, na reunião de segunda-feira, apresentando um resultado líquido positivo de cerca de 712 mil euros.

Este saldo “contrasta com os resultados apresentados nos últimos 12 anos, em que o mesmo foi consecutivamente negativo e que contribuiu para a deterioração dos capitais próprios do Município em cerca de 36 milhões de euros”, refere a autarquia.

Segundo a nota do presidente, o resultado do exercício de 2018 é “histórico” e “terá repercussões no investimento previsto a realizar no concelho nos próximos meses”.

O documento refere um grau de execução da receita na óptica das cobranças líquidas de 89,8%, superando a meta dos 85%. Excluindo os efeitos extraordinários das vendas de bens de investimento, de passivos financeiros e do saldo de gerência anterior, as receitas líquidas reflectem um aumento de 4,4% face ao ano anterior.

Relativamente às despesas, registou-se uma diminuição de 10,3%, o que representa um decréscimo de 3,5 milhões de euros, embora se tenha verificado um aumento das despesas com o pessoal, em 1,7 milhões de euros, decorrentes do processo de internalização da empresa Ourém Viva.

De acordo com a nota do presidente, a autarquia teve um resultado corrente positivo em 9,7 milhões de euros e resultado orçamental positivo em cerca de 6,9 milhões de euros.

Não há pagamentos em atraso e o prazo médio de pagamentos situa-se em 19 dias, quando em 2017 era de 25 dias.

Foi proposta ainda “uma revisão orçamental em alta, que prevê um reforço de um milhão de euros, passando o orçamento municipal para 43,96 milhões de euros”.

“É proposto que deste valor sejam alocados 385 mil euros na aquisição das quotas dos sócios da Fatiparques e no pagamento das dívidas existentes na empresa, para que possamos, de uma vez por todas, resolver mais este gravíssimo problema, que herdámos e que agora está perto de ser resolvido”, salientou o autarca na nota.



2019-04-19

OURÉM_CÂMARA APROVA PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO COM A ACISO

Foi aprovado, na Reunião de Câmara de 15 de abril, o protocolo de Colaboração entre o Município de Ourém e a ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima “Promoção do Turismo Religioso em 2019 e 2020”.
O documento agora aprovado comtempla um apoio financeiro até ao montante de 95 mil euros, a disponibilizar em 3 fases, com vista à execução de uma parceria ativa para a promoção e desenvolvimento económico no concelho de Ourém e à consolidação da marca Fátima.
O montante em causa visa financiar os encargos decorrentes de diversas ações de promoção no âmbito da dinamização da marca Fátima, no contexto religioso, onde se destaca a realização do Workshop Internacional de Turismo Religioso.

2019-04-16

OURÉM_EXECUTIVO MUNICIPAL FEZ LEVANTAMENTO DO NÚMERO DE TURMAS NECESSÁRIAS PARA AS ESCOLAS DE FÁTIMA 2019/2020

O Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque comunicou à Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão, o número de turmas necessárias de forma a garantir que o ano letivo 2019/2020 decorre com normalidade no território educativo de
Fátima.

Este levantamento sobre as reais necessidades educativas de Fátima, prende-se com as dificuldades que os alunos desta Freguesia tiveram em conseguir colocação, no ano letivo de 2018/2019, nos
estabelecimentos de ensino com os quais o Estado mantém contratos de associação.

Desta forma, este trabalho de antecipação identificou como necessrias para o ano letivo de 2019/2020, 8 turmas do 5.º ano (+1), 8 turmas do 7.º ano (+2) e 6 turmas do 10.º ano (+1)

Com esta comunicação, o Executivo Municipal fica a aguardar o agendamento de uma reunião com a Secretária de Estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão.

2019-04-16

LEIRIA_CENTRO HOSPITALAR CRIA UNIDADE DE SAÚDE MENTAL COMUNITÁRIA

O Centro Hospitalar de Leiria anunciou hoje a criação da Unidade de Saúde Mental Comunitária do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental, na sequência das actividades já desenvolvidas em colaboração com os cuidados primários.

“O PsiCom é um programa de apoio orientado para as necessidades do doente de psiquiatria e saúde mental, ao favorecer o retorno a uma vida o mais normal possível, longe do internamento hospitalar, e ‘fugir’ do modelo hospitalocêntrico e rumar a uma abordagem voltada para os recursos comunitários”, explicou o director do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do CHL, Cláudio Laureano, citado numa nota de imprensa.

Segundo o psiquiatra, durante o ano 2018 foram realizadas 53 consultas de intervenção em crise na comunidade de doentes graves, 114 consultas domiciliárias multidisciplinares e consultadoria psiquiátrica com os Agrupamentos dos Centros de Saúde Oeste Norte e Pinhal Litoral.

Realizaram-se ainda “reuniões todos os meses nos Centros de Saúde de Alcobaça, Pombal, Arnaldo Sampaio e Gorjão Henriques”, em Leiria, “para discussão de mais de 110 situações clínicas complexas”, acrescentou o especialista.

O próximo passo é avançar com reuniões de consultadoria com os cuidados de saúde primários às unidades locais da Marinha Grande, Batalha, Porto de Mós e Nazaré.

“A nova unidade integra uma das mais prementes áreas da saúde mental, que é a da psiquiatria comunitária, e pretende desenvolver, melhorar e optimizar os cuidados prestados na área da saúde mental aos utentes adultos da área de influência do CHL, com especial incidência sobre a população com doença mental grave”, precisou a vogal do Conselho de Administração do CHL, Alexandra Borges, citada no mesmo comunicado.

O PsiCom prevê diversas áreas de intervenção, nomeadamente funcionando “como programa de acompanhamento por terapeuta de referência” e apoio domiciliário.

As actividades são realizadas através do agendamento de cuidados clínicos a ocorrer no hospital, centro de saúde, domicílio ou em outras estruturas comunitárias e através da realização de contactos telefónicos periódicos e frequentes entre o terapeuta de referência e os doentes/família dos cuidados de saúde primários.

A intervenção em crise também está contemplada, prevenindo “uma maior deterioração de um episódio agudo de doença” e “evitando idas ao Serviço de Urgência e internamentos, ou promovendo o acesso o mais precoce possível aos cuidados de saúde hospitalares, se necessário”.

A consultadoria psiquiátrica com os cuidados de saúde primários fomenta a articulação entre as estruturas parceiras e evita a utilização inadequada dos serviços de saúde, nomeadamente evitando-se episódios frequentes de urgência e encaminhamentos à consulta externa por
motivos passíveis de orientação a nível comunitário.

LUSA

2019-04-16

OURÉM_PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL REUNIU COM MINISTRA DA SAÚDE

O Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, reuniu com a Ministra da Saúde, Marta Temido, na terça-feira (9 de abril) para discutir o acesso dos oureenses ao Centro Hospitalar de Leiria após a demissão do Presidente do Conselho de Administração, Hélder Roque, e as notícias recentemente veiculadas na comunicação social sobre o tema. A reunião contou com a participação dos Deputados da Assembleia da República pelo Distrito de Santarém, António Gameiro e Duarte Marques, da Presidente da Câmara Municipal de Tomar e da CIMT, Anabela Freitas, e do Presidente da ARS Lisboa e Vale do Tejo, Luís Pisco.

Luís Miguel Albuquerque defende que “os oureenses podem estar tranquilos porque nada do que foi conquistado no passado estará em causa”, logo os “cuidados de saúde que hoje são prestados aos utentes de Ourém no Centro Hospitalar de Leiria deverão ser mantidos”. Segundo o
autarca, a Ministra Marta Temido mostrou “sensibilidade” para a situação e reconheceu que o Centro Hospitalar de Leiria necessita de um reforço de meios. Neste sentido, ficou agendada uma nova reunião com a Secretária de Estado da Saúde para analisar um estudo ainda em elaboração sobre o funcionamento do Centro Hospitalar de Leiria e o impacto do acesso dos utentes oureenses a esta estrutura.

O Presidente da Câmara reafirma que “todos os portugueses podem optar pelo hospital onde pretendem ser tratados” de acordo com o despacho do antigo Ministro da Saúde, e, neste contexto, “os oureenses podem recorrer às urgências disponíveis em Tomar, Torres Novas ou Leiria, conforme entenderem”. “O mais importante é a manutenção do livre acesso pelos oureenses a qualquer hospital da região e do País”, assegura Luís Miguel Albuquerque.

A situação do Centro de Saúde de Ourém foi também abordada na reunião e a Ministra da Saúde mostrou “abertura para num futuro próximo existir um reforço de meios que permita voltar a disponibilizar um serviço de urgências”. Deste modo, os utentes do concelho de Ourém poderiam fazer um primeiro rastreio no Centro de Saúde e, possivelmente, evitar o encaminhamento para os hospitais da região. Neste âmbito,
ficou definida a marcação de uma reunião com o Presidente da ARS LVT e com a Diretora do ACES Médio Tejo para discutir a proposta que passará pelo alargamento do horário da estrutura e a afetação de mais médicos.

O Presidente da Câmara, Luís Miguel Albuquerque, mostra-se otimista e passa uma mensagem de tranquilidade aos oureenses já que “as condições que temos hoje irão manter-se e tenho esperança que possam ser melhoradas num futuro próximo”.


2019-04-10

CENTROS HOSPITALARES DE LEIRIA, MÉDIO TEJO, OU O QUÊ?

Para o Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, em entrevista à ABC Portugal, o que está em causa é o cumprimento de um despacho deste governo que possibilitou aos utentes de Ourém poderem recorrer ao Centro Hospitalar de Leiria, o que agora parece estar em causa, face às notícias que dão conta da incapacidade daquela estrutura de saúde em acolher os doentes com origem no Município de Ourém.
Para o Presidente da Câmara compete ao governo definir as regras do jogo, admitindo que caso a unidade de saúde de Tomar seja dotada de mais valências, que as que atualmente possui, os utentes de Ourém, ou grande parte deles, possam ser encaminhados para este hospital, serviço complementado pela possibilidade teórica de serem atribuídas mais competências e meios ao Centro de Saúde de Ourém, o que aliviaria o Hospital de Leiria.
Na próxima 2ª feira, em sede de reunião de Câmara, serão assumidas as posições políticas inerentes a esta situação de indefinição, que se vive no Município de Ourém, com os utentes a sentirem grande indefinição, quanto à Unidade de Saúde que lhes está atribuída.

2019-03-28

MÉDIO TEJO_DEPUTADOS SOCIALISTA, AUTARCAS E DIRIGENTES LOCAIS REUNIRAM COM CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO CENTRO HOSPITALAR

Os Deputados socialistas Hugo Costa e Maria da Luz Lopes acompanhados de autarcas e dirigentes locais do Partido Socialista reuniram esta semana com o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo no âmbito do acompanhamento de proximidade da aplicação das políticas públicas, refere um comunicado ontem divulgado.

Acrescenta, que no seguimento do anterior encontro, em junho de 2018 e da recente reunião com a Comissão de Utentes do Centro Hospitalar do Médio Tejo, foi possível aferir da enorme capacidade, conjunta, de encontrar soluções para os constrangimentos com que os utentes eram confrontados no inicio desta legislatura.

É ainda referido, que a recuperação de mais mil milhões de euros no orçamento do Ministério da Saúde e a contratação de mais de nove mil profissional é uma realidade sentida no Médio Tejo, que por exemplo, acompanhada por um investimento de mais de um milhão e quinhentos mil euros desta administração em equipamento de diagnostico e avaliação só no ano de 2018 permite reforçar os cuidados de saúde a todas as pessoas deste território, citámos.

Esta nota à imprensa conclui referindo que foi com satisfação que se recebeu a informação sobre a excelência da formação interna que permite já liderar os rankings em algumas especialidades e que nos novos projectos como a hospitalização domiciliária o Centro Hospitalar do Médio Tejo é já uma referência de exemplo na região de Lisboa e Vale do Tejo.

2019-03-28

LEIRIA_DEPUTADO DUARTE MARQUES LEVOU À COMISSÃO DE SAÚDE NO PARLAMENTO A SITUAÇÃO DOS UTENTES DE OURÉM

Duarte Marques levou à Comissãp de Saúde no Parlamento a situação dos utentes do concelho de Ourém que, segundo foi tornado público “poderão deixar de ser referenciados e encaminhados para este hospital”.

O Deputado do PSD responsabiliza o Governo pela situação a que se chegou, onde “quer os utentes de Leiria quer os de Ourém estão mais mal servidos do que estavam”.

Duarte Marques lembrou, que quando a referenciação livre se colocou e se abriu a possibilidade dos utentes de Ourém passarem a ser referenciados para Leiria, abrindo a liberdade de escolha, o Governo anterior rejeitou porque ainda não havia capacidade nem meios suficientes em Leiria para acomodar esta afluência e manter a qualidade do serviço”. Quando esta medida foi depois aprovada o PSD perguntou se estava garantido o reforço de pessoal e de meios, pois “só assim esta decisão seria uma boa solução para a população.” Pelos vistos não estavam assegurados os meios, notou ainda Duarte Marques.

Numa nota de imprensa que cita Duarte Marques, é referido que a austeridade e as cativações de Mario Centeno sufocaram o Hospital de Leiria que está sem recursos e sem capacidade para dar respostas. Se a situação já era grave para este hospital sem os utentes de Ourém, pior ficou com a pressão de mais alguns milhares de utentes.

Duarte Marques disse ainda que “não se pode agora vir responsabilizar os utentes de Ourém pela situação do Hospital de Leiria, não são os culpados mas são os mais prejudicados.

A Ministra Marta Temido respondeu que o Governo está a estudar os movimentos dos utentes do concelho de Ourém para tomar a melhor decisão, o que acontecerá no prazo de 30 dias, reconhecendo que não foram dados ao hospital os meios suficientes para manter a qualidade da resposta perante o aumento fluxo de utentes.


2019-03-28

FÁTIMA_NOVOS PARQUÍMETROS EM FUNCIONAMENTO

A Câmara Municipal de Ourém informa numa nota de imprensa, que os novos parquímetros instalados na Avenida Santo Agostinho e nas Ruas de Santa Ana, de Santo António, Jacinta Marto e Santa Isabel, em Fátima, irão entrar em funcionamento no próximo dia 1 de abril de 2019.

O estacionamento nestas zonas estará sujeito a pagamento todos os dias, entre as 08.00 e as 20.00 horas. Estes parquímetros, bem como os restantes que se encontram em funcionamento, serão fiscalizados pela GNR – Guarda Nacional Republicana.


2019-03-28

LEIRIA_PSD DESAFIA PRIMEIRO MINISTRO A VISITAR CENTRO HOSPITALAR

A Comissão Política Distrital de Leiria do PSD desafiou o primeiro-ministro, António Costa, a visitar o Centro Hospitalar de Leiria e a apresentar medidas para mitigar os seus problemas.

“Tendo conhecimento de que o primeiro-ministro, António Costa, está a desenvolver uma volta por vários centros de saúde do país, a Distrital de Leiria do PSD desafia o primeiro-ministro a vir até ao Hospital de Leiria conhecer a verdadeira realidade da saúde na nossa região e a aproveitar esta oportunidade para apresentar medidas concretas”, referem os sociais-democratas num comunicado enviado à agência Lusa.

Na nota de imprensa, a Distrital do PSD reforça que António Costa deve avançar com soluções que “contribuam para resolver a situação muito preocupante em que se encontra esta importante instituição”.

Para a Distrital de Leiria do PSD, os problemas que se estão a viver no hospital de Leiria são “verdadeiramente lamentáveis” e “só evidenciam a falta de investimento na área da saúde” que, segundo o PSD, têm vindo a “denunciar ao longo dos últimos anos”.

“Importa perceber quais os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde e que ainda não foram concretizados, tal como foi tornado público pelo presidente
demissionário da Conselho de Administração do Centro Hospitalar de
Leiria”, acrescenta a nota.

Os sociais-democratas de Leiria consideram “essencial que o Centro Hospitalar de Leiria seja valorizado” e revelam que vão “solicitar uma reunião com carácter de urgência com o Conselho de Administração”.

“Já esta semana a ministra da Saúde estará no Parlamento a requerimento do PSD para dar explicações sobre esta situação muito problemática em que se encontra o Centro Hospitalar de Leiria”, recorda o PSD.

O presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Leiria, Helder Roque, comunicou há uma semana aos seus colaboradores que apresentou a sua demissão à ministra da Saúde, em “protesto” pela falta de recursos.

No mesmo dia foi anunciado pelo presidente da Câmara de Leiria que o CHL vai ser alvo de uma avaliação, por parte do Ministério da Saúde, com o objectivo de perceber os problemas existentes e avançar com as “decisões adequadas” para os resolver.

Nas últimas semanas, a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos tem denunciado os problemas, causados, sobretudo, por falta de recursos, que se passam no serviço de Urgências e que levou à demissão de todos os chefes de equipa.

LUSA

2019-03-13

FÁTIMA_MORREU O CAPELÃO DO SANTUÁRIO, PADRE CARLOS SILVA

O capelão do Santuário de Fátima, padre Carlos Silva, de 59 anos, morreu na terça-feira à tarde quando se preparava para celebrar a missa das 16:30, revelou o Santuário de Fátima na sua página de Internet.

“O sacerdote da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus faleceu esta tarde em Fátima quando se preparava para celebrar a eucaristia das 16:30”, indicou o Santuário num comunicado.

Segundo a nota, o sacerdote sentiu-se mal “quando se paramentava, na Sacristia das capelas do piso inferior da Basílica da Santíssima Trindade”.

“Foram chamados de imediato os meios de socorro, tendo sido desenvolvidas várias tentativas de reanimação sem sucesso, acabando por ser declarado o óbito”, lê-se no comunicado.

O Santuário de Fátima diz-se “consternado” pela morte do padre Carlos Silva, que estava no Santuário desde 2017, tendo sido nomeado capelão a 1 de outubro de 2018.

O sacerdote faria em agosto 60 anos e, em julho, 30 anos de ordenação sacerdotal.

Natural de Benguela, o padre Carlos Silva era mestre em Teologia Sistemática pela Universidade Católica Portuguesa e foi ordenado em 02 de julho de 1989, por D. António Ribeiro, Patriarca de Lisboa.

Como padre serviu nos Açores, em Castro Marim (distrito de Faro), Alfragide (distrito de Lisboa) e Póvoa de Santa Iria (distrito de Lisboa), antes de ir para Fátima, indicou o Santuário.


2019-03-06

OURÉM_INCÊNDIO URBANO

Com origem ainda não totalmente esclarecida, deflagrou perto das 23 horas na noite de 3ª feira, um incêndio urbano, na cidade de Ourém, o que motivou, para além do alarme caraterístico destas situações, a mobilização de 6 viaturas e 25 elementos dos Bombeiros de Ourém, que apenas vieram a considerar a ocorrência terminada, cerca das 5 horas da manhã.

Como referimos, as circunstâncias que conduziram à ocorrência do sinistro ainda não são dadas como totalmente esclarecidas, sabendo-se que o incêndio deflagrou na cave de um bloco habitacional, tendo produzido muito fumo, o que dificultou, em grande medida, o combate ao fogo, por parte dos bombeiros, tendo obrigado ainda à evacuação de 60 moradores no edifício, por razões que se prendiam com a segurança da estrutura habitacional, que, ao que parece não terá ficado afetada, à exceção da cave do prédio.

As instalações do Pavilhão gimnodesportivo de Ourém, localizadas na zona urbana onde deflagrou esta ocorrência, foram disponibilizadas para acolher quem pretendesse ter aí acolhimento temporário, dada a necessidade de evacuar os apartamentos no edifício afetado.

Ao que foi apurado até ao momento, os prejuízos na área subterrânea do prédio são elevados e as condições de operação dos meios de socorro, foram extremamente dificultadas, face à tipologia dos produtos aí armazenados, que produziram fumo muito intenso com a consequente redução na visibilidade e acesso ao foco de incêndio, por parte dos meios de socorro.

Há também notícia do facto das viaturas estacionadas na referida cave não terem sido afetadas diretamente pelas chamas, embora algumas possam ter sofrido danos decorrentes das altas temperatura bem como devido à exposição ao fumo.

2019-02-27

LEIRIA_HOSPITAL ADMITE REPROGRAMAÇÃO DE CIRURGIAS NÃO URGENTES

O Conselho de Administração (CA) do
Centro Hospitalar de Leiria (CHL) confirmou hoje à Lusa que sentiu necessidade de reprogramar algumas cirurgias não urgentes, de modo a "canalizar recursos" para os "doentes cirúrgicos urgentes".

"Face aos constrangimentos que vimos sentindo, confirmamos que houve necessidade de fazer algumas alterações e restrições à programação cirúrgica dos doentes não urgentes, e apenas estes, de forma a canalizar recursos e disponibilidades para os doentes cirúrgicos
urgentes, nomeadamente ao nível da equipa de Anestesiologia", referiu o CA à Lusa.

O CHL respondeu, assim, à denúncia do secretário regional do Centro do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), que
revelou que a programação cirúrgica prevista para março do Hospital de Santo André (HSA), em Leiria, foi reduzida em 50% por falta de recursos humanos.

"O HSA está a bater no fundo. É um problema de gestão, pois o Conselho de Administração assumiu que pode fazer mais com menos, mas não dá condições de trabalho. A programação cirúrgica para março viu os tempos reduzidos em 50% por falta de recursos humanos", revelou José Carlos Almeida.

Segundo o secretário regional do Centro do SIM, a falta de médicos estende-se à área laranja do Serviço de Urgências.

Esta zona "tem uma capacidade para 14 doentes" e no dia da visita do SIM, na semana passada, "estavam 46 e ainda era de manhã", denunciou, reforçando que "não há médicos diferenciados".

"Uma colega confessou-nos que estava ela e um médico do ano comum na área laranja. Todos os médicos mais diferenciados não
conseguiram sair da emergência [intra-hospitalar]. Antes, o hospital tinha uma equipa de emergência, agora não. Estes médicos fazem dois a três turnos por semana e ainda asseguram a unidade hemodinâmica", acrescentou.

José Carlos Almeida afirmou ainda que os médicos "continuam a entregar as cartas de escusa", porque "seria uma
irresponsabilidade assumirem que estão a trabalhar em condições de segurança para os utentes".

Para o secretário regional do Centro do SIM, o argumento de falsas urgências "não pode ser usado, porque existe em todo o país".

"Se pegarmos nos hospitais de Loures ou de Vila Franca, de gestão privada, têm uma área de influência idêntica à de Leiria, ou até menor, e têm um número superior de médicos com capacidade de decisão no serviço de urgência, o que faz toda a diferença. É preciso ter mais elementos e mais diferenciados", insistiu.

"Não cabe ao sindicato decidir pela demissão ou não do CA, terá de ser a tutela a definir o que fazer do hospital de Leiria. Não se pode jurar amor eterno ao Serviço Nacional de Saúde [SNS] e dar facadas nas costas. O SNS está perante uma crise que nunca foi tão grave como agora.

Nunca os médicos e todos os profissionais de saúde estiveram tão cansados como agora", sublinhou.

Na semana passada, a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) revelou que todos os chefes de equipa da Urgência de Medicina Interna do Hospital de Santo André se demitiram em janeiro.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, disse que o Serviço de Urgência do hospital de Leiria atingiu o "limite" e que "só não encerra por todo o esforço dos médicos que lá trabalham", mesmo "sem serem
reconhecidos pelo Conselho de
Administração do CHL".

"Todos os chefes de equipa de Urgência de Medicina Interna apresentaram já a demissão, no dia 25 de janeiro, alegando a inexistência de condições essenciais ao desempenho das funções", referiu, explicando que os médicos "não têm tempo para a chefia do serviço, nem recursos para cumprir a escala de urgência".

Desde o início do ano, a Ordem dos Médicos já recebeu 159 declarações de responsabilidade: "Recebemos mais cartas de declarações de responsabilidade do que de todos os hospitais do Centro juntos, o que mostra uma grande preocupação com o que está a acontecer em Leiria, sobretudo na Urgência de Medicina Interna", salientou Carlos Cortes.

Carlos Cortes já deu conhecimento ao Ministério da Saúde, pedindo a "intervenção" da ministra Marta Temido para "ajudar a solucionar este problema".



2019-02-27