mynews

OURÉM_MUNICÍPIO VAI GERIR LOTAÇÃO DA PRAIA DO AGROAL A PARTIR DE 1 DE JULHO

O município de Ourém vai gerir a lotação da praia fluvial do Agroal a partir do dia 01 de julho, com o controlo efetuado à entrada, anunciou hoje o presidente da autarquia.

Segundo o presidente da Câmara, Luís Albuquerque, a abertura oficial da praia será efetuada com o hastear da bandeira Azul, atribuída pelo quarto ano consecutivo, e com as regras de afastamento social asseguradas.

“As casas de banho serão higienizadas de acordo com a lei - terão uma equipa em permanência -, e a cafetaria irá abrir, tendo sido já apresentadas propostas para a sua concessão. O controlo de entradas far-se-á junto à cancela por um funcionário da autarquia ou por um segurança”, explicou Luís Albuquerque.

A lotação da praia do Agroal só ficará definida após uma reunião com a autoridade de saúde do concelho de Ourém e com as “outras entidades que prestam serviço no local”.

A praia do Agroal vai continuar a ter nadador-salvador e a presença dos bombeiros voluntários, e funcionará das 09:00 às 19:00.

Com a chegada do calor, várias pessoas já se deslocaram no último fim de semana àquela praia fluvial. Luís Albuquerque afirmou que até ao dia 01 de julho terá de “ser o bom senso” dos cidadãos a garantir o distanciamento social.

“Se verificarmos que existe um aglomerado excessivo de pessoas teremos de contactar as autoridades”, disse o autarca.

Luís Albuquerque informou ainda que a praia ainda tem as comportas abertas, pelo que “tem o nível muito baixo”.

“Até 01 de julho iremos realizar ações de limpeza e colocar mais areia na praia, para receber as pessoas nas condições que merecem”, adiantou.

A construção de passadiços no local só deverá avançar para “outubro ou novembro”.

O presidente explicou que depois de ter o parecer positivo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), o projeto obteve um parecer negativo da Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

“As alterações pedidas iam de encontro ao parecer do ICNF. Chamámos as duas entidades ao local e encontrámos uma solução. Reformulámos o projeto e já temos a aprovação da APA. Falta a resposta do ICNF para lançarmos o concurso”, justificou.


2020-05-25

FÁTIMA_SANTUÁRIO RETOMA NO SÁBADO CELEBRAÇÕES COM PRESENÇA DE PEREGRINOS

O Santuário de Fátima vai retomar as celebrações com a presença de peregrinos a partir de sábado, garantindo as condições de segurança para o maior número de pessoas.

O Santuário de Fátima anunciou hoje que “para garantir a participação do maior número de pessoas em segurança, no estrito cumprimento das regras definidas pelas autoridades de saúde”, irá concentrar na Basílica da Santíssima Trindade a maioria das missas.

Neste local, será realizado o programa oficial, de segunda a domingo, à exceção da missa das 11:00 que, ao fim de semana, até 26 de outubro, será sempre celebrada no Recinto de Oração, informa ainda o Santuário.

Também ao domingo, a missa das 15:00 passará a ser celebrada no Recinto de Oração.

Segundo o Santuário, a transferência das principais celebrações do programa oficial para a Basílica da Santíssima Trindade (de segunda a sexta) e para o Recinto de Oração “obedeceu a um critério de responsabilidade, que o Santuário tem vindo a adotar neste contexto de pandemia”.

O Santuário recorda que, antes de serem suspensas as celebrações comunitárias com a presença de peregrinos, no dia 14 de março, foi adotado um conjunto de medidas preventivas para evitar o contágio pela covid-19.

“Esta mesma preocupação está presente na escolha dos espaços onde decorrerão as celebrações a partir de agora, nesta fase de desconfinamento inicial”, destaca o Santuário.

As celebrações na Capelinha das Aparições também serão retomadas, com a reza do Terço às 12:00 e às 18:30.

As celebrações oficiais terminarão diariamente com o Terço às 21:30.

Durante a semana será ainda celebrada na Capelinha das Aparições a Eucaristia das 12:30.

As Missas que habitualmente decorriam durante a semana na Capelinha das Aparições em italiano, inglês e espanhol não irão ser celebradas, assim como a procissão do Santíssimo ao domingo.

Os espaços museológicos reabriram na terça-feira.

Dentro dos espaços fechados é obrigatório o uso de máscara e a prévia higienização das mãos.

Durante as celebrações, a máscara só deverá ser retirada no momento da comunhão que continuará a ser dada na mão, informa ainda o Santuário.

Os peregrinos deverão respeitar todas as indicações dos acolhedores, nomeadamente nas filas para a comunhão e na ocupação dos lugares sentados, dentro dos espaços de culto e oração.

As capelas da Reconciliação e da Adoração mantêm os horários habituais, devendo os peregrinos observar todas as regras de distanciamento, etiqueta respiratória e higiene.

A Bênção dos Veículos passa a realizar-se semanalmente, a partir do dia 31 de maio, ao domingo, no parque 12, ao lado do Centro Pastoral de Paulo VI, às 12:45 e 17:00.

2020-05-25

FÁTIMA_BISPO ALERTA EM FÁTIMA PARA A PANDEMIA DA POBREZA E PARA O VÍRUS DA INDIFERENÇA

O bispo de Leiria-Fátima alertou hoje que já se está a gerar uma pandemia mais dolorosa do que a da covid-19, "a da extensão da pobreza", pedindo também solidariedade para combater "o vírus" da indiferença e do individualismo.

"A pandemia, com a longa interrupção da vida normal, traz terríveis consequências económicas, sociais e laborais. Já está a gerar uma pandemia mais dolorosa, a da extensão da pobreza, da fome e da exclusão social", afirmou o cardeal António Marto, durante a homilia do segundo e último dia da peregrinação internacional de maio, que decorre, de forma inédita, sem peregrinos devido à pandemia da covid-19.

Durante a intervenção, o cardeal lembrou que as consequências económicas da pandemia já batem "à porta das Caritas diocesanas e de várias paróquias e soa a sinal de grito de alarme".

Essa "pandemia" social, notou, é "agravada pela cultura da indiferença e do individualismo", salientando que "o vírus da indiferença só é derrotado com os anticorpos da compaixão e da solidariedade".

Esta situação "dramática e trágica" expõe também "a vulnerabilidade e fragilidade da condição humana", frisou, considerando que essa fragilidade também exige uma união entre povos e classes, já que a covid-19 "ultrapassa todas as barreiras geográficas e todas as condições sociais, económicas, hierárquicas".

"Sentimo-nos unidos e pertencentes a uma humanidade comum, na fragilidade, mas também mais unidos na fraternidade e na solidariedade", frisou.

Afirmando que "ninguém está imune", António Marto frisou a necessidade de solidariedade perante uma pandemia que revela a interdependência entre seres humanos.

"Ou nos salvamos todos juntos ou nos afundamos todos juntos", sublinhou, recordando as palavras do papa Francisco, que defende um impulso de solidariedade para orientar a resposta mundial a uma "anunciada quebra" do sistema económico e social.

Para António Marto, este é também um tempo para refletir e repensar os hábitos e estilos de vida, vincando que "não se pode viver só para consumir".

Perante um recinto de oração vazio, o cardeal também voltou a afirmar que, apesar de para muitos esta ser uma peregrinação triste por se realizar num santuário de Fátima fechado, é também uma oportunidade para "aprender como é uma peregrinação em estado puro, o peregrinar com o coração".

"Há coisas que se aprendem melhor na calma e outras na tempestade", disse, citando a escritora norte-americana Willa Cather.

A peregrinação internacional de maio, que começou na terça-feira e termina hoje, realiza-se pela primeira vez na sua história sem peregrinos no recinto do santuário de Fátima, devido à pandemia da covid-19, estando apenas presentes as pessoas diretamente implicadas nos diferentes momentos celebrativos e alguns convidados.



2020-05-13

FÁTIMA_BISPO DIZ QUE NÃO QUERIA FICAR NA HISTÓRIA COMO RESPONSÁVEL POR UM AGRAVAR DA PANDEMIA

O bispo de Leiria-Fátima afirmou hoje que nem ele nem o Santuário queriam ficar na História como responsáveis por um agravamento da pandemia de covid-19, recusando também comparações com manifestações sindicais e políticas.
O bispo de Leiria-Fátima contou que, após as declarações da ministra da Saúde, em que tinha admitido a possibilidade de haver celebrações desde que cumprindo determinadas regras, recebeu diversos e-mails que o desafiavam a "manifestações de força".
"A Igreja não vai por aí. A fé não se mede pelas multidões", vincou António Marto, referindo que, apesar de vários e-mails agressivos "e até ofensivos", recebeu também várias manifestações de apoio à decisão do Santuário de realizar as celebrações sem peregrinos.
Na resposta à pergunta, o cardeal realçou também que "uma coisa são manifestações de caráter sindical ou político, outra coisa são as responsabilidades da Igreja".

"Não podemos comparar aquilo que é incomparável", comentou.
Segundo António Marto e de acordo com as informações que recolheu junto das autoridades de saúde, o risco de contágio caso tivesse aberto a peregrinação internacional de maio a peregrinos seria "muito elevado".

"Numa manifestação destas era imprevisível poder saber que multidão vinha e como gerir isso. Nós não temos convidados selecionados como acontece em certas manifestações. Para nós, isso era impossível. Teríamos também de salvaguardar o distanciamento físico e não podia caber muita gente. Porque é que entravam uns e outros não? Seria, porventura, um caos", salientou.
Questionado sobre o impacto económico da pandemia em Fátima, António Marto explicou que o Santuário vive das ofertas, assim como as paróquias e as dioceses, e, "por conseguinte, vai ressentir-se".
No entanto, notou, o Santuário de Fátima tem capacidade económica para fazer face à pandemia, continuando a pagar o vencimento aos seus cerca de 350 funcionários, sendo "uma questão de honra não despedir funcionários", não tendo recorrido ao ‘layoff’ até à data.

2020-05-13

FÁTIMA_PEREGRINAÇÃO COMEÇA HOJE SEM PEREGRINOS PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA

A peregrinação internacional de maio começa hoje à noite, em Fátima, naquela que será uma celebração "atípica" face à pandemia da covid-19, não contando com peregrinos pela primeira vez na sua história.

A peregrinação, que decorre hoje e quarta-feira, vai realizar-se, de forma inédita, sem peregrinos no recinto do Santuário de Fátima, na sequência das decisões do Governo face à pandemia da covid-19.

As celebrações, que começam às 21:30 de hoje, vão contar apenas com a presença de pessoas diretamente implicadas nos diferentes momentos celebrativos e, a somar-se aos apelos do Santuário às pessoas para ficarem em casa, a GNR está desde sábado a impedir o acesso de peregrinos a Fátima.

Face à situação "atípica", o Santuário de Fátima pediu aos peregrinos que, não podendo estar presentes, peregrinem "com o coração", desafiando-os a acender uma vela na noite de hoje, nas janelas das suas casas, por forma a repetir "um dos gestos mais icónicos de Fátima".

A peregrinação de maio vai decorrer a partir da Capelinha das Aparições, com transmissão em www.fatima.pt, assim como no canal de Youtube e na página de Facebook do Santuário.

Hoje, após a oração do rosário, seguir-se-á a Procissão de Velas, desta feita num trajeto mais curto.

No dia 13, quarta-feira, a oração do rosário começa às 09:00, na Capelinha das Aparições, seguindo-se a celebração da missa, presidida pelo cardeal António Marto, bispo de Leiria-Fátima, terminando as celebrações com a Procissão do Adeus.

2020-05-12

COVID-19_OURÉM_MUNICÍPIO APELA AO GOVERNO PARA BAIXAR IVA NO SETOR DO TURISMO

O Município de Ourém aprovou hoje uma declaração, que será enviada ao Governo, onde apela à redução do IVA para o valor mínimo e a isenção da contribuição para a Segurança Social no setor do turismo.

Salientando que o “impacto desta crise pandémica criada pelo novo coronavírus está e vai assolar diversos setores da sociedade portuguesa, muito especialmente, a área do turismo e os seus agentes” e que o turismo religioso é um dos que tem maior peso na região Centro e que é responsável por cerca de um milhão de dormidas, Luís Albuquerque sugere que o governo crie um “regime especial” para o turismo, nomeadamente uma redução de IVA para o valor mínimo e a isenção da contribuição para a Segurança Social até 30 de junho de 2021.
O autarca pede ainda que se reduza a taxa de tributação autónoma para empresas que apresentem prejuízos no exercício de 2020 e que o regime de ‘lay-off’ seja alargado mais três meses.
Outras propostas apresentadas são a criação de uma linha de crédito dedicada ao turismo, com um período de carência de um ano e pagamento a 20 anos, com taxa de juro até ao máximo de 1%, e a abertura de aviso a fundos comunitários para despesas/investimentos relativas à prevenção da covid-19.

“O turismo tem uma elevada importância no nosso concelho e devemos alertar o governo. A própria Comissão Europeia dever-se-ia associar a estes apoios”, sublinhou Luís Albuquerque.
O documento será enviado ao Presidente da República, primeiro-ministro, ministro da Economia, grupos parlamentares, Santuário de Fátima e vários organismos políticos e empresariais.

No despacho de desconfinamento também aprovado hoje, a autarquia anunciou que vai reabrir todos os serviços municipais, de forma condicionada, assim como o ecocentro de Fátima, o cemitério municipal e os espaços empresa e do cidadão.
O estacionamento subterrâneo no parque do município também reabriu hoje, mantendo-se a suspensão do pagamento de estacionamento parqueado de superfície em Ourém e Fátima até 18 de maio.

O museu e a biblioteca municipais e os postos de turismo reabrem a 18 de maio, com restrições.
Encerrados vão continuar os parques infantis, o parque Natureza e Aventura do Agroal, as esplanadas do concelho, os sanitários públicos, o Centro Municipal de Exposições de Ourém, as piscinas municipais, os pavilhões gimnodesportivos, o estádio Papa Francisco e a Casa Mortuária.

A autarquia garante ainda a desinfeção periódica de todos os espaços públicos municipais.
Luís Albuquerque anunciou também que já se iniciaram os testes ao novo coronavírus em oito lares e instituições particulares de solidariedade social protagonizados pelo Governo.
As análises prosseguem nos próximos dias até estarem testados os cerca de 60 lares do concelho, referiu Luís Albuquerque.
A Câmara vai também começar a distribuir 35 mil máscaras à população.

2020-05-07

COVID-19_FÁTIMA_CELEBRAÇÕES TERÃO APENAS AS PESSOAS DIRETAMENTE IMPLICADAS

As celebrações da Peregrinação Internacional Aniversária de maio, nos dias 12 e 13, vão contar apenas com a presença das pessoas nelas diretamente envolvidas, disse hoje o reitor do Santuário de Fátima, Carlos Cabecinhas.

Em declarações à agência Lusa, Carlos Cabecinhas explicou que “só estarão presentes as pessoas necessárias e diretamente implicadas nas celebrações”.

Como é habitual nos outros anos, as celebrações decorrerão no recinto de oração do santuário, mas sem a presença de peregrinos, uma vez que este estará encerrado.

“A entrada de peregrinos nos espaços do santuário, entre a tarde do dia 12 e a hora do almoço do dia 13, não será possível. Os espaços estarão todos inacessíveis, incluindo o recinto de oração, que será encerrado”, frisou.

Carlos Cabecinhas explicou que “o objetivo é evitar qualquer tipo de aglomeração de pessoas ou ajuntamentos”.

“A mensagem que é importante e que as pessoas devem ter presente é que não poderão entrar no recinto de oração, não poderão participar em qualquer celebração e, por isso, não devem vir”, pediu.

Questionado sobre as medidas de segurança adotadas para a eventualidade de, apesar deste apelo, os peregrinos decidirem deslocar-se ao santuário, Carlos Cabecinhas referiu que aquelas competem às autoridades.

“Sempre foi assim. Nós respeitamos a sua atuação e articulamos o que tem de ser articulado, que é a parte de vigilância dos nossos espaços”, acrescentou.

O reitor reiterou o sentimento de “profunda dor” por, pela primeira vez na sua história, o Santuário de Fátima não acolher peregrinos, que são “a razão de ser” do seu quotidiano.

“Ainda assim, sabemos que tomámos a decisão correta, porque foi a decisão mais responsável”, considerou, acrescentando que esta se baseou “na saúde e na segurança dos peregrinos, na sequência desta pandemia e das decisões das autoridades”.

Apesar de a presença dos peregrinos não ser possível fisicamente, Carlos Cabecinhas disse que o santuário não prescinde “da sua oração, da sua presença espiritual”.

“O santuário estará vazio, mas não estará deserto. Os peregrinos serão os mais presentes na celebração, não temos dúvidas”, realçou.

2020-05-06

COVID-19_FÁTIMA_SANTUÁRIO PEDE AOS PEREGRINOS QUE EVITEM DESLOCAÇÕES AO RECINTO NOS DIAS 12 E 13 DE MAIO

O reitor do Santuário de Fátima, Carlos Cabecinhas, pediu hoje aos peregrinos que não se desloquem ao recinto nos dias 12 e 13 e que façam a peregrinação "pelo coração", devido à pandemia de covid-19.

Numa mensagem dirigida aos peregrinos a propósito da Peregrinação Internacional Aniversária de maio, Carlos Cabecinhas refere que, pela primeira vez na sua história, o Santuário de Fátima vai celebrar esta data sem peregrinos nos seus espaços.

“Este é um momento doloroso: o santuário existe para acolher os peregrinos e não o podermos fazer é motivo de grande tristeza; mas esta decisão é igualmente um ato de responsabilidade para com os peregrinos, defendendo a sua saúde e o seu bem-estar”, considera.

A quem tinha intenção de este ano se deslocar ao santuário, o padre pede que faça esta peregrinação "pelo coração" e acompanhe a transmissão das celebrações através dos meios de comunicação social, da internet e das redes sociais.

As celebrações decorrerão no recinto, mas este estará encerrado devido às regras sanitárias definidas pelo Governo no contexto da declaração do Estado de Calamidade pública, em articulação com a Conferência Episcopal Portuguesa, e que impedem as celebrações religiosas com a presença de fiéis.

Atendendo a esta impossibilidade de deslocação à Cova da Iria, o reitor desafia os peregrinos a fazerem um caminho espiritual, apresentando-lhes uma proposta concreta de oração para cada dia.

"Não podemos contar com a vossa presença física, mas gostaríamos de poder contar convosco. Porque não se peregrina só com os pés, mas também com o coração, propomos-vos que façais connosco uma peregrinação pelo coração", sublinha.

A proposta passa por uma "peregrinação por etapas", entre hoje e dia 13, na qual "o caminho não é físico, mas interior”, sendo os peregrinos desafiados a acenderem, todos os dias, nas janelas de suas casas, uma vela, o que é considerado "um dos atos mais icónicos de Fátima".

"Que, em cada dia, cada um faça um momento de reflexão e oração, de acordo com as propostas que disponibilizaremos; e que, em cada noite, acenda à janela uma vela, até à procissão de velas do dia 12. Faremos, assim, uma bela procissão de velas, difundida por todos os lugares onde viveis e vos encontrais”, apela.

Entre a tarde do dia 12 e o fim da manhã do dia 13 não será permitido o acesso dos peregrinos a qualquer espaço do santuário.

"Tomar agora esta decisão dolorosa significa procurar criar condições para podermos retomar, o mais rapidamente possível, as peregrinações a este lugar”, realça Carlos Cabecinhas.

O reitor aproveita para cumprimentar os vários grupos de peregrinos que tiveram de cancelar a peregrinação a Fátima neste mês de maio, que são cerca de três centenas e meia, de todo o mundo.

As celebrações com a presença física de peregrinos na Cova da Iria e em todas as igrejas portuguesas só serão retomadas no dia 30.

Até lá, o santuário retomará a sua atividade, reabrindo, já a partir de hoje, os locais de culto, para visita e oração, mas sem celebrações comunitárias e sem a presença física de peregrinos.

Também o edifício da reitoria retomará a sua atividade, tal como as unidades comerciais. Os espaços museológicos abrem ao público a partir do dia 19.

De forma a tornar os espaços do santuário acessíveis, a instituição adotou medidas quer para os colaboradores quer para os peregrinos, como o uso de máscara em espaços fechados, a lavagem frequente das mãos, a manutenção do distanciamento físico e a monitorização dos acessos aos espaços fechados (basílicas, capelas e espaços comerciais).


2020-05-04

COVID-19_FÁTIMA_PROTEÇÃO CIVIL DE SANTARÉM PEDE A PEREGRINOS QUE EVITEM DESLOCAÇÕES

A Comissão Distrital de Proteção Civil de Santarém emitiu um alerta à população e aos peregrinos para que este ano não se desloquem a Fátima nos dias 12 e 13 de maio devido à pandemia de covid-19.

“Este ano não peregrine até Fátima. Este ano não se desloque até Fátima, nos dias 12 e 13 de maio”, lê-se no alerta, emitido no sábado, assinado pelo presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Santarém, António Borges.

No documento, o responsável refere que o Santuário de Fátima decidiu celebrar a peregrinação de 12 e 13 de maio sem público.

Como referiu o Cardeal D. António Marto na mensagem que partilhou com os
peregrinos “Mesmo estando em nossas casas viveremos esse momento em espírito
de peregrinação. O Recinto do Santuário estará vazio, mas não deserto. Ainda que
separados fisicamente, estaremos todos aqui espiritualmente unidos como Igreja
com Maria, de modo intenso, com o coração cheio de fé”, disse D. António Marto.

“Sair de casa para iniciar a peregrinação é, este ano, um comportamento de risco”, sublinha a comissão distrital, lembrando que muitos peregrinos aproveitam os feriados que antecedem a peregrinação de maio, nomeadamente o 25 de Abril e o 1.º de maio, para cumprirem etapas da peregrinação a pé.

O presidente da Comissão Distrital de Proteção Civil de Santarém pede para que a peregrinação seja adiada “para quando for seguro para todos”.

“Este ano faça a sua peregrinação em casa. Reze em casa”, apelou a autoridade local, lembrando que as principais celebrações religiosas “serão transmitidas pelos meios de comunicação social e digital”.

2020-04-27

OURÉM_MUNICÍPIO PREVÊ REALIZAR 11 MILHÕES DE EUROS EM OBRAS MUNICIPAIS

O Município de Ourém prevê realizar ainda este ano um conjunto de obras no valor de 11 milhões de euros, tendo hoje sido aprovadas algumas adjudicações, disse o presidente da Câmara.

Na reunião de hoje, o executivo aprovou a adjudicação da construção da ecovia Fátima-Ortiga, no valor de 700 mil euros, o lançamento do concurso da requalificação da estrada municipal 357, que liga a rotunda norte ao limite do concelho com Leiria, no valor de dois milhões de euros, e o financiamento não elegível da construção das redes de drenagem e águas residuais em várias localidades do concelho, no valor de 1,2 milhões de euros, num total de investimento de 7,5 milhões de euros.

O presidente do Município de Ourém, Luís Albuquerque (coligação Ourém Sempre PSD/CDS-PP), explicou que nas redes de drenagem aprovou a "comparticipação dos concursos públicos das obras que estão a decorrer das despesas não elegíveis dos fundos comunitários.”

Dos 7,5 milhões de euros do valor das obras de saneamento, 1,2 milhões são da responsabilidade do Município e cerca de 6,3 milhões de euros provêm dos fundos comunitários a que se candidatou a empresa intermunicipal Tejo Ambiente, explicou o autarca numa conferência de imprensa ‘online’.

Neste conjunto de obras insere-se ainda a requalificação do jardim de Le Plessis-Trévise, no valor de um milhão de euros, mas dúvidas sobre a adjudicação desta intervenção levaram a que este ponto fosse retirado para ser pedido um parecer jurídico, adiantou ainda Luís Albuquerque.

A previsão de investimento de 11 milhões de euros em obras públicas ainda este ano é “um sinal importante que está a ser dado para mostrar que o concelho não vai parar e que há vida além da covid-19”.

O presidente anunciou ainda que foi aprovado o júri para recrutamento de 13 dirigentes para unidades orgânicas. “Há mais de dez anos que o Município de Ourém não tem cargos de chefia a exercer a sua função através de concursos públicos. Tem sido sempre através de nomeação. Nos oito anos em que estive na oposição sempre batalhei para que esta situação fosse uma realidade e hoje foi dado um passo decisivo”, adiantou.

Luís Albuquerque explicou que, após a aprovação desta decisão em Assembleia Municipal, serão lançados concursos externos para o preenchimento desses cargos, o que, no seu entender, dá “credibilidade e isenção” ao processo.

O presidente adiantou ainda que a Câmara de Ourém já recebeu 90 processos de licenciamento, que aguardam a aprovação da revisão do Plano Municipal Diretor (PDM).

O documento final necessita de passar na Assembleia Municipal, reunião que foi suspensa perante a pandemia da covid-19.

“O presidente da Assembleia Municipal tem estado em conversações com os líderes dos partidos para verificar se é possível agendar o mais rápido possível uma reunião. A falta de aprovação do PDM é um entrave às várias obras públicas e privadas, daí a urgência na conclusão do processo”, rematou.

2020-04-21

COVI-19_OURÉM_EMPRESÁRIOS DE OURÉM-FÁTIMA PREOCUPADOS COM FUTURO DAS EMPRESAS

A Aciso - Associação Empresarial Ourém-Fátima está preocupada com a reabertura das empresas após o Estado de Emergência, pelo que irá realizar um inquérito junto dos seus associados para saber em que condições voltam à atividade, disse a presidente da organização.

“Estamos focados no pós-Estado de Emergência. Há estabelecimentos que encerraram apenas porque foram obrigados a fazê-lo e queremos perceber quem conseguiu regressar e em que condições”, adiantou a presidente da Aciso, Purificação Reis, em declarações à agência Lusa.

Segundo a líder da associação, o retrato sobre o período de encerramento forçado no concelho de Ourém, no distrito de Santarém, será feito de forma mais concreta através de um inquérito que será enviado aos associados, “para avaliar as consequências e perceber se os constrangimentos se mantêm”.

“Sabemos que o impacto foi grande e que muitos aderiram aos processos de ‘lay-off’ para minimizar parte dos custos com a estrutura de pessoal”, admitiu.

Purificação Reis considera “fulcral” o regresso à atividade, mas pretende perceber “quem não reabriu e quem conseguir em que moldes o irá fazer; se houve redução ou manutenção de pessoal, se desenvolveram outras estratégias ou outro tipo de comercialização”.

“Será o reinício de uma nova fase, que sabemos que vai ser muito difícil e ainda com poucos clientes, mas queremos perceber como estão os empresários a encarar o futuro e quais as dificuldades que estão a sentir”.

A dirigente lembrou que, no quadro atual, a maioria das empresas no concelho de Ourém estão encerradas, sobretudo na área do turismo. “Os clientes deixaram de existir e as cerimónias foram canceladas”.

Para Purificação Reis, o cancelamento da habitual peregrinação do 13 de maio em Fátima tem impacto na economia, mas é mais um evento. “É o 13 de maio, mas também todos os fins de semana encerrados. Enquanto não for retomada a normalidade, não havendo mobilidade de pessoas, o efeito será o mesmo”.

A presidente da Aciso sublinhou ainda que Fátima "absorve uma grande fatia da mão-de-obra na região" e admite que o desemprego pode subir, mesmo que não se reflita no imediato.

E explica: “Março é o mês em que os empresários reforçam os seus recursos humanos para a época alta” e, neste contexto, “já não contrataram ninguém”.

O objetivo agora é “manter os postos de trabalho” e foi com essa perspetiva que a maioria dos empresários avançou para os processos de ‘lay-off’. “Estão a tentar manter as suas equipas de pessoal. O nível de emprego irá diminuir, com impactos económicos e sociais, que não se podem dissociar”.

Constatando que há vários locais do país que dependem do turismo, Purificação Reis frisou que Fátima é um deles e o Estado de Emergência provocou um “impacto brutal”.

Por isso, defende apoios mais assertivos. “As linhas de financiamento são importantes para resolver problemas momentâneos, mas têm de ser pagos e haverá ainda um hiato muito grande em que o volume de negócios será muito reduzido e as contas para pagar se mantêm”.

Por isso, “será necessário um apoio mais direto às empresas para que consigam aguentar este período e possam crescer”.

2020-04-16

COVI-19_OURÉM_MUNICÍPIO DE OURÉM DISTRIBUI EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO A IPSS E LARES DO CONCELHO

Centenas de kits de equipamentos de proteção individual, foram distribuídos nesta quarta-feira, 15 de abril, por 51 instituições particulares de solidariedade social (IPSS) e lares do concelho de Ourém, com vista a mitigar a propagação do novo Coronavírus.

Os equipamentos de proteção foram entregues pessoalmente, ao longo de toda a tarde, por uma comitiva liderada pelo Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, acompanhado dos Vereadores Isabel Costa, Natálio Reis e Rui Vital, assim como pelo Coordenador Municipal de Proteção Civil, Miguel Freire.
Ao todo foram doadas às instituições 304 viseiras, 5.430 máscaras, 17.600 luvas, 860 cobre sapatos, 860 toucas, 860 mangas descartáveis, 360 batas descartáveis e 185 litros de álcool gel.

Luís Miguel Albuquerque realçou que "é extremamente importante reforçar os meios de proteção destas instituições, devido à tipologia de utentes, na generalidade pessoas muito vulneráveis, pela idade ou pelas patologias, e porque concentram um elevado número de pessoas num espaço comum".

Esta medida vem na sequência do recente ponto de situação efetuado pelo Executivo Municipal sobre a evolução epidemiológica da Covid-19 no nosso concelho, momento onde foram apresentadas as medidas entretanto adotadas e em constante atualização, assumidas pelo Município para fazer face à propagação desta pandemia, reforçando desta forma os meios de proteção individual destas instituições.



2020-04-16

COVID-19_LEIRIA_MUNICÍPIO PREPARA FUNDO DE UM MILHÃO DE EUROS PARA PÓS-PANDEMIA

O Município de Leiria vai criar um Fundo de Emergência Social (FES), que prevê a aplicação de cerca de um milhão de euros para apoio às famílias após o fim da pandemia da covid-19.

Estando em fase de elaboração do regulamento municipal e como forma de complemento às medidas de âmbito social em vigor, o FES tem como objetivo minimizar as consequências da pandemia às famílias com maiores dificuldades socioeconómicas, nomeadamente em casos de redução de rendimentos, desemprego e outros cenários que obrigaram à situação de carência, refere uma nota do Município de Leiria.

O FES pretende ainda proteger todos os que, não se encontrando em particular vulnerabilidade social, se viram confrontados com algum tipo de conjuntura que interfira negativamente no seu contexto social, familiar e económico, podendo integrar áreas como apoio alimentar, habitação, saúde e outros setores considerados essenciais.

A autarquia liderada por Gonçalo Lopes explica, na mesma nota, que serão definidas e implementadas regras e critérios para a prestação deste apoio financeiro "de caráter urgente e inadiável", estando abrangidos agregados familiares e pessoas isoladas, que vivam em situação económico-social de emergência.

2020-04-16

COVID-19_OURÉM_PRESIDENTE DA CÂMARA REALIZOU NOVO BALANÇO SOBRE A COVID-19 EM OURÉM

O Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, efetuou um ponto de situação sobre a evolução epidemiológica da Covid-19 no nosso concelho no dia 13 de abril, momento onde indicou as medidas entretanto adotadas e em constante atualização, assumidas pelo Município para fazer face à propagação desta pandemia.

O Presidente do Município confirmou a disponibilidade imediata, de acordo com o Plano Municipal de Operações definido pelo Serviço Municipal de Proteção Civil, de um hospital de campanha instalado no Santuário de Fátima, devidamente equipado e preparado para acolher casos suspeitos de Covid-19. Foi também confirmada a existência de 300 camas destinadas àqueles que necessitem de um local de internamento e/ou acolhimento, em vários locais devidamente identificados no concelho de Ourém. Se existir necessidade de acolher e/ou isolar um grupo de pessoas, o Município tem preparados os Pavilhões do Pinheiro, do Caneiro e as instalações do Centro Desportivo de Fátima para esse fim, com todas as condições necessárias e exigíveis nesta situação. O Presidente da Câmara Municipal confirmou ainda a existência de locais de apoio dirigidos única e exclusivamente a profissionais de saúde, que estão, tal como as restantes infraestruturas indicadas, disponíveis para dar as respostas necessárias a qualquer momento.

O ponto de situação apresentado por Luís Miguel Albuquerque incidiu também nos apoios dirigidos à comunidade escolar e em específico aos alunos mais vulneráveis que, apesar do retorno às aulas não presencial, não reúnem as condições necessárias para aceder aos conteúdos disponibilizados pelo estabelecimento de ensino e assim prosseguir, dentro da normalidade possível, o seu percurso escolar. Neste contexto, o Presidente da Câmara anunciou o alargamento da disponibilização de refeições aos alunos com escalão B (a medida já estava em vigor para todos os alunos com escalão A) e a cedência de 315 equipamentos informáticos a todos os alunos que não dispõe de computador pessoal (de acordo com o levantamento realizado pelos Agrupamentos de Escolas concelhios). Destes 315 computadores, a Câmara Municipal já tem em sua posse 175 e os restantes estão em fase de aquisição numa parceria definida com a Comunidade Intermunicipal do MédioTejo. Luís Miguel Albuquerque comunicou ainda a disponibilização de 232 hotspots de acesso à Internet, numa cedência de 3 meses que permitirá o acesso de todos os alunos do concelho de Ourém aos conteúdos programáticos do ano letivo que se encontram a frequentar.

Este balanço permitiu confirmar a entrega, no próximo dia 15 de abril, de 6000 máscaras e luvas de proteção às IPSS’s concelhias e a concretização de uma adenda ao Cartão Abem que possibilitará uma maior abrangência no acesso aos apoios para aquisição de medicamentos. Luís Miguel Albuquerque finalizou este ponto de situação com a informação de que os formulários de acesso aos apoios municipais no âmbito da Covid-19 já estão há alguns dias disponíveis em www.ourem.pt e são já vários os munícipes que submeteram os seus requerimentos, estando a autarquia a analisar todos os dados para uma resposta o mais rápida e eficaz possível.


2020-04-14

Peregrinação de Maio em Fátima celebrada sem peregrinos

O Santuário de Fátima anunciou que a Peregrinação Internacional Aniversária de Maio será este ano celebrada sem a presença física de peregrinos, devido à covid-19, mas que se mantêm as principais celebrações.

Apesar de esta peregrinação não poder ser vivida nos moldes habituais, vão realizar-se “as principais celebrações na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que serão presididas pelo cardeal D. António Marto e transmitidas pelos meios de comunicação social e digital”, explica.

O programa da peregrinação ainda não está totalmente decidido, mas já se sabe que, “na noite do dia 12 de Maio, será recitado o rosário, com o lucernário, e, no dia 13 de Maio, será celebrada a missa internacional”.

“É com muita dor e tristeza de alma e coração, mas também com grande sentido de responsabilidade, que neste momento comunico que o Santuário de Fátima irá celebrar a grande Peregrinação Internacional Aniversária de maio sem peregrinos fisicamente presentes, como tem sido habitual”, refere o bispo de Leiria-Fátima, António Marto, numa mensagem de vídeo.


2020-04-09

PROPOSTAS DOS VEREADORES DO PS NA CÂMARA DE OURÉM NO CONTEXTO DO COMBATE À PANDEMIA DA COVID-19

Os vereadores do PS na Câmara Municipal de Ourém tornaram pública uma nota de imprensa, na qual referem que tiveram conhecimento que os critérios definidos no protocolo relacionado com a rede solidária do medicamento, continuam a ser muito restritivos, o que impede os ourienses de usufruir das condições especiais de aquisição de medicamentos. Acrescentam, que "numa época de catástrofe como a que estamos a viver, em que os problemas começam com a saúde e se estendem à economia, ao emprego e à situação económica das famílias de modo avassalador, os vereadores do PS propõem ao executivo que, dentro das medidas de combate ao Covid-19, as condições de acesso ao Cartão Abem (Rede Solidária do Medicamento) sejam revistas, de modo a que mais oureenses possam usufruir desses benefícios na compra dos seus medicamentos", citámos.
Aproveitando o momento em que os ajuntamentos de pessoas em grandes espaços comerciais é absolutamente de evitar, os vereadores do PS propõem ao executivo, aproveitar a ocasião para relançar o comércio local, sensibilizando os oureenses para fazerem as suas compras nos pequenos comerciantes mais próximos das suas casa, criando condições para a realização de pequenos mercados, seja de venda direta, respeitando as condições de higiene e sanitárias adequadas ao contexto restritivo que vivemos, seja através da criação de uma plataforma digital onde produtores locais e pequenos comerciantes possam vender hortícolas, frutas e outros produtos.
Remetendo para a declaração apresentada na última reunião, os Vereadores do PS refrem e passamos a citar, que "é importante fazer o levantamento dos alunos do 1º, 2º e 3º ciclo que não tenham acesso a computadores ou outros meios de ensino à distância, de forma a não fomentar mais desigualdade, nomeadamente ao nível da educação, direito básico e fundamental de todas as crianças.


Ainda quanto às medidas preconizadas pelo PS no contexto do combate ao Covid-19 é referido que

Tendo em conta que Ourém é neste momento o município do Medio Tejo com maior número de infetados, consideram fundamental a articulação e colaboração entre todas as estruturas autárquicas e de saúde do concelho, propondo os vereadores do PS ao executivo:
Que reúna regular e frequentemente com Presidentes das Juntas de Freguesia para que estes reportem situações de:
Desemprego ou pobreza que vão surgindo;
Necessidades ao nível da alimentação, da aquisição de medicamentos e acompanhamento médico e deslocações;
Pessoas ou famílias que venham de fora para passar ferias ou outros;
Violência doméstica;
Pessoas que devem estar em confinamento obrigatório e não estão a respeitar;
Bares e cafés que continuem a funcionar indevidamente;

2020-04-09

LATAFORMA ONLINE PERMITE REQUERER APOIO ÀS MEDIDAS MUNICIPAIS DE COMBATE À COVID-19

Na sequência da apresentação do novo conjunto de medidas de apoio às famílias e instituições particulares de solidariedade social concelhias (IPSS), no âmbito do combate à propagação da pandemia Covid-19, o Município de Ourém disponibilizou, a partir deste dia 8 de abril, uma plataforma online onde os munícipes poderão requerer o apoio anunciado.
A plataforma elaborada pelos serviços municipais está acessível no link https://apoiocovid19.cm-ourem.pt/ bastando apenas um registo online para poder requer apoio no âmbito das medidas anunciadas para famílias, IPSS, Empresas e outras instituições.
Para além da plataforma, foram adicionados no site do Município, na secção dedicada a todas as informações referentes à pandemia Covid-19 (https://www.ourem.pt/covid-19/), um portal que possibilitará às Juntas de Freguesia o registo online de idosos e emigrantes, assim como a disponibilização de uma lista atualizada dos estabelecimentos abertos durante o estado de emergência nacional.
As medidas apresentadas pelo Executivo Camarário pretendem responder às diferentes exigências e desafios com que o Município diariamente se confronta, mitigando os impactos sociais e económicos que incidem nas famílias e IPSS’s do Município de Ourém.


2020-04-09

MUNICÍPIO DE OURÉM ANUNCIOU NOVAS MEDIDAS DE COMBATE À COVID-19

A reunião de Câmara de 6 de abril foi palco do anúncio pelo Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, de novas medidas de apoio às famílias e instituições particulares de solidariedade social concelhias, no âmbito do combate à propagação da pandemia Covid-19. Este novo pacote de medidas vem reforçar os instrumentos já anunciados para contenção da Covid-19, mitigando os impactos sociais e económicos que incidem nas famílias e IPSS’s do Município de Ourém.
O Município de Ourém já havia deliberado a comparticipação em 75% nos valores das mensalidades dos meses de abril e maio para as Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família, com exceção da alimentação, num valor estimado de 200 mil euros. Agora determinou o alargamento da medida à valência das Creches, novamente com uma comparticipação municipal de 75% no valor das mensalidades de abril e maio, desde que as instituições em causa não acedam ao lay-off. Este apoio não é cumulativo com outras medidas governamentais para o mesmo fim e caso a IPSS suspenda contratos de trabalho por lay-off a comparticipação será reduzida para 25%. Esta medida de apoio às famílias e IPSS’s oureenses representa um investimento municipal na ordem dos 110 mil euros.
O Executivo Camarário anunciou também o alargamento dos descontos nas tarifas fixas de água, saneamento e resíduos sólidos urbanos para famílias que sejam confrontadas com a suspensão dos seus contratos de trabalho por lay-off. As famílias que tenham dois elementos do agregado familiar em lay-off usufruem de um desconto de 100% e se apenas um elemento tiver o seu contrato de trabalho suspenso, o desconto será de 50%.
Ainda no âmbito dos apoios disponibilizados às famílias, neste caso com filhos em idade escolar, o Presidente Luís Miguel Albuquerque anunciou a disponibilização de 250 computadores para alunos que não tenham acesso a esta ferramenta fundamental para a prossecução dos seus estudos, além da disponibilização de hotspots de acesso à Internet.
O Presidente Luís Miguel Albuquerque anunciou ainda a aquisição de mais mil litros de produto para as ações de desinfeção que decorrem diariamente em vários espaços públicos do concelho, além da criação de plataformas formais de recolha de donativos e angariação de voluntários para fazer face às necessidades mais urgentes.
As medidas de apoio às famílias e IPSS’s concelhias apresentadas pelo Executivo Camarário complementam as anteriormente anunciadas, num esforço para responder às diferentes exigências e desafios com que o Município de Ourém diariamente se confronta.

2020-04-09

PRESIDENTE DA CÂMARA APRESENTOU PONTO DE SITUAÇÃO DO COMBATE À COVID-19 EM OURÉM

O Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, apresentou, na reunião de Câmara de 6 de abril, um ponto de situação relativamente à atuação do Município no combate à propagação do surto pandémico de Covid-19 que a todos afeta. O documento enumera vários apoios já disponibilizados junto dos munícipes, medidas que serão reforçadas e atualizadas de acordo com as exigências diárias com que as autoridades concelhias são confrontadas.

De salientar a disponibilização de 310 refeições a 31 alunos concelhios com escalão A, situação que está assegurada inclusive no período de interrupção escolar. O Município tem também garantido o fornecimento de refeições diárias aos sem abrigo identificados no concelho, num total de 80 refeições até ao dia 6 de abril. Os serviços municipais estão também a acompanhar 49 idosos referenciados que já receberam 9 cabazes alimentares e 2 apoios adicionais que se refletem na disponibilização de medicação.

O Presidente Luís Miguel Albuquerque informou ainda que a Câmara Municipal iniciou a distribuição de leite que deixou de ser necessário nos estabelecimentos escolares por IPSS’s concelhias com jovens em regime de internato, além da disponibilização já efetuada de máscaras às IPSS’s e de equipamentos de proteção individual (máscaras, viseiras, luvas, óculos e fatos descartáveis) às três Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários concelhias.

O edil anunciou também a criação de uma bolsa de voluntários, ainda informal, com a disponibilidade já manifestada por 38 pessoas para prestar apoio na medida das necessidades identificadas e garantiu a disponibilização de formulários no site oficial do Município de Ourém até dia 8 de abril, para acesso aos apoios municipais já divulgados e dirigidos a famílias, IPSS’s e empresas.


2020-04-09

COVID-19_FÁTIMA_PEREGRINAÇÃO DE MAIO CELEBRADA SEM PEREGRINOS

O Santuário de Fátima anunciou hoje que a Peregrinação Internacional Aniversária de Maio será este ano celebrada sem a presença física de peregrinos, devido à covid-19, mas que se mantêm as principais celebrações.

Apesar de esta peregrinação não poder ser vivida nos moldes habituais, vão realizar-se “as principais celebrações na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, que serão presididas pelo cardeal D. António Marto e transmitidas pelos meios de comunicação social e digital”, explica.

O programa da peregrinação ainda não está totalmente decidido, mas já se sabe que, “na noite do dia 12 de Maio, será recitado o rosário, com o lucernário, e, no dia 13 de Maio, será celebrada a missa internacional”.

“É com muita dor e tristeza de alma e coração, mas também com grande sentido de responsabilidade, que neste momento comunico que o Santuário de Fátima irá celebrar a grande Peregrinação Internacional Aniversária de maio sem peregrinos fisicamente presentes, como tem sido habitual”, refere o bispo de Leiria-Fátima, António Marto, numa mensagem de vídeo.

No seu entender, “suspender esta peregrinação de maio nos moldes habituais é um ato de responsabilidade pastoral e também um profundo ato de fé”, que comunica “com o coração em lágrimas”, por saber da importância deste momento para milhares de peregrinos.

“Peço a todos que compreendam que, em virtude da pandemia e da necessidade de evitar a propagação do vírus, esta é a única decisão sensata e responsável que poderíamos tomar. Não podemos correr riscos! Não podíamos de modo algum permitir que o nosso santuário se tornasse centro ou foco de contágio para o país e para o mundo”, justifica.

No entanto, segundo o santuário, esta peregrinação, “que assinala a primeira aparição de nossa senhora aos três pastorinhos de Fátima (em maio de 1917), será, contudo, transmitida através dos meios de comunicação social, nos moldes habituais, permitindo que milhares de pessoas possam acompanhar as celebrações peregrinando a partir de casa”.

O cardeal refere que, mesmo a partir de casa, este momento poderá ser vivido em espírito de peregrinação: “O recinto do santuário estará vazio, mas não deserto. Ainda que separados fisicamente, estaremos todos aqui espiritualmente unidos como Igreja com Maria, de modo intenso, com o coração cheio de fé”.

Segundo o prelado, “não se peregrina só a pé e com os pés ou com a deslocação física”, mas também “com a mente e o coração”, ou seja, “fazendo uma peregrinação interior na busca de luz e de verdade, de regeneração e de cura, de conforto espiritual e de paz”.

António Marto lamenta que os mais de 180 grupos inscritos até ao início da pandemia se tenham visto obrigados a cancelar a peregrinação e lembra que a alteração da forma de celebração também representa para o santuário “um momento muito difícil, porque não pode acolher peregrinos, que são a razão de ser deste grande hospital de campanha que ajuda a sarar tantas feridas”.

“Não poderemos peregrinar em Maio, mas poderemos fazê-lo noutra altura. Aliás, devemos fazê-lo noutra altura em acção de graças”, defende.



2020-04-06